Erês – Os intermediários dos Orixás

0
20449
erê umbanda e candomblé

Um modo de ver diferente, uma energia incontrolável, a mais pura e verdadeira vontade de ser feliz e de simplesmente viver o que tiver que ser vivido. São através dessas emoções e da simplicidade do olhar de uma criança, que despertam os Erês.

Receba as Mensagens Divinas Dos Orixás Por Especialistas em Jogo de Búzios Online. CLIQUE AQUI

Erê é uma palavra originária do yorubá e tem o significado de diversão e brincadeiras, contrário ao que muitos acham quando associam sua tradução com criança. Quando eles surgem no terreiro é a mais bela e verdadeira expressão de festa e alegria, seu sorriso é contagiante e sua energia é a mais pura a ser notada, pois eles veem o existir como uma grande benção.

Está a procura dessa energia pura e mais felicidade em sua vida? Clique aqui e fale com um especialista em jogo dos Búzios que ele te orientará para o melhor caminho de realizações!

Confira mais a seguir sobre a energia de um Erê e como ele influencia na purificação do espírito:

Quem são os Erês

Erês são guias, e tanto na Umbanda como no Candomblé são estereotipados como crianças, porque é exatamente essa sensação que eles passam com toda sua pureza. Só que na verdade eles são seres encantados, então nunca passaram pela experiência do existir humana.

A missão de cada Erê é a de intermediar o contato entre as pessoas e os Orixás (já que eles não falam), eles são o ponto exato entre a nossa consciência humana e o inconsciente do Orixá. No Candomblé, os Erês auxiliam os iniciados sendo os portadores das mensagens dos Orixás aos seus filhos.

Esses seres de Luz trazem a energia de renovação, enchem as almas de esperança e empolgação por tudo que é novo, pois eles sabem que são nas incertezas que se pode encontrar as melhores respostas.

Pense desta forma: se as coisas não foram como imaginava até esse ponto de sua vida, isso é um sinal de que você precisa mudar de rota, não é mesmo? Então se apegue às vibrações desses guias e permita que a juventude e motivação percorram seu ser e te leve para melhores caminhos.

As características dos Erês

Esses encantados têm seus espíritos como os de qualquer criança, esbanjam disposição e sinceridade e por isso, necessitam de pessoas que os possam controlar sabiamente, para que eles consigam se concentrar na missão a qual foram enviados.

Uma festa de Erê promete transmitir uma energia única para quem a frequenta, é realmente um banho de renovação e ânimo para todos que os buscam.

Apaixonados por doces, esses pequenos de espírito infantil atuam na linha da direita, na Umbanda eles são da linha de Oxumaré, já no Candomblé os Erês são mensageiros do Orixá de cabeça de quem os invoca.

Além de doce, eles também adoram brinquedos que correspondem à sua linha de atuação. Muitos deles passam a gira abraçados com bonecas, carrinhos, barcos, montados em cavalinhos, usando espelhinhos, chupando chupetas ou até mesmo os dedos.

Erês não gostam de choro, farão de tudo para te ver sorrir, e suas orientações serão todas voltadas a caminhos que te levarão às conquistas e realizações.

Erês e Ibejis / Os Erês no Candomblé

Os Ibejis embora sejam crianças extrovertidas, não são guias como os Erês, possuem suas representatividades de Orixás e se diferem dos encantados em suas histórias e atributos.

No Candomblé embora os Erês também sejam crianças, pode-se dizer que eles são mais “comportados” (quando são educados corretamente). Eles transitam as informações dos Orixás para seus filhos, sendo assim são sempre solicitados pois somente eles estabelecem essa comunicação.

São figuras extremamente importantes, estão sempre presentes e ajudam na limpeza da casa. A energia do terreiro está totalmente associada com as vibrações dos Erês.

Como dito anteriormente, esses guias no Candomblé seguem a linha do Orixá de cabeça de quem é iniciado na religião. E devido a este motivo, sua nomenclatura está relacionada a este Orixá regente.

Alguns nomes de Erês no Candomblé:

Exú = Foguinho e Pinga Fogo;

Oxóssi = Andorinha e Flexinha;

Oxalá = Pombinha Branca e Caramujinho;

Oxum = Amorzinho e Espelhinho;

Yansã = Ventania e Tachinho;

Oxumaré = Chuvinha e Arco-Íris;

Yemanjá = Conchinha e Maré;

Nanã = Laminha e Lodinho;

Xangô = Gamelinha e Trovoada;

Ogum = Guerreirinho e Espadinha;

Omulú = Pipoca e Palhinha.

Erês e São Cosme e Damião / Os Erês na Umbanda

São Cosme e Damião são Santos da Igreja Católica amados em diversas religiões, onde os Orixás Ibejis são sincretizados com os médicos gêmeos. Na Umbanda é notável a adoração pelos dois irmãos, já que a própria festa dos Erês é conhecida como Festa de São Cosme e Damião, onde há uma comemoração para os encantados, repleta de doces e da energia da felicidade de infância.

O motivo dessa representação ligada aos Santos é devido ao costume que ambos tinham de atender pessoas carentes gratuitamente e entregar doces às crianças que passavam por seus cuidados.

Esse simples gesto repleto de carinho ficou marcado eternamente e passou a ser homenageado na Umbanda, com a entrega de docinhos para as crianças que irão receber o passe nas giras.

Os Erês na Umbanda seguem a linha de Oxumaré pois ambos trabalham no campo da renovação e da transformação com o intuito de alcançar o sucesso em qualquer que seja o assunto.

Na Umbanda, os Erês como guias, dão passes para aqueles que vão em procura de sua sabedoria e proteção, eles enchem o terreiro de alegria e todos saem da festa muito mais motivados, com as energias transformadas.

Alguns nomes de Erês na Umbanda: Erê Zezinho, Joãozinho, Pedrinho, Mariazinha e Aninha. O que pode acontecer é desse nome ter um complemento e isso determinar uma relação do Erê com um Orixá, por exemplo: Zezinho Marinheiro (vibração de Yemanjá).

Pontos cantados dos Erês

Ponto 1

“Papai me manda um balão
Com todas as crianças
Que tem lá no céu
Tem doce Papai,
Tem doce Papai,
Tem doce lá no meu jardim!”

Ponto 2

“Yemanjá, cadê Ogum,
foi com Oxóssi ao rio de Jordão,
foram saldar, São João Batista,
e batizar Cosme e Damião.

Yemanjá, cadê Ogum,
foi com Oxóssi ao rio de Jordão,
foram saldar, São João Batista,
e batizar Cosme e Damião.”

Oferendas aos Erês

IMPORTANTE: toda oferenda deve ser orientada por alguém responsável do Candomblé ou Umbanda, cada Orixá possui suas peculiaridades que devem ser respeitadas e guiadas por quem os conhecem após anos de prática na religião.

Como eternas crianças, suas principais oferendas são a base de doces e brinquedos. Os Erês também gostam de comidas típicas afro, como o mugunzá e carurú.

Dias dos Erês

Os domingos e segundas são os seus dias da semana. O dia da comemoração em nome dos Erês é 27 de setembro.

Cores dos Erês

Os Erês gostam de todas as cores, principalmente em tons mais claros. As mais características são rosa, azul e verde bebê.

Oração aos Erês

“Omi Ibeji. Bejé eró! Salve a força das crianças! Salve os Erês Força pura, verdadeira, Que reluz no céu azul Traga ao nosso lar a paz E a esperança, Zele por todas as crianças.

Encaminhe minhas preces a Oxalá Pai de imensa pureza, que meus pedidos feitos com clareza e verdade sejam atendidos. (Fazer um pedido)

Doces crianças, oh Erês! representantes de Cosme e Damião, Que vossa santa proteção Me sirva de consolo e apoio nas horas difíceis. Aceitem minha humilde oferenda que é feita com verdade e fé E interceda por mim junto ao Pai De Amor Supremo. Agradeço as Crianças!

Salve Erês!”

Saudação aos Erês

Saudação: Bejiróó! Oni Beijada! – A saudação tem significado de: “Ele é dois!” ( a mesma dos Ibejis).

Os Erês são fonte de energia e renovação. Eles despertam em nós nossa mais pura essência, vontade de progredir e de buscar a felicidade plena. Esses sentimentos são oriundos do nosso verdadeiro eu, que acabamos reprimindo durante nosso crescimento, mas que os Erês conseguem enxergar e farão o possível para que você relembre o verdadeiro significado de viver.

Leia também em nosso blog sobre os Ibejis, suas histórias e o poder desses Orixás!

Receba Aqui as Melhores Orientações Transmitidas Pelo Poder Dos Odús

Erês – Os intermediários dos Orixás
4.8 (95%) 4 vote[s]