A Cultura Indígena e o Xamanismo

0
2981
xamanismo dos índios

Primeiramente precisamos deixar claro que Xamanismo abrange diversos tipos de significados, cada qual com seus dogmas e doutrinas, sendo assim, podemos defini-los como antigos sistemas de rituais, cada qual com um conceito diferente ou uma representação característica do local de atuação, onde as suas peculiaridades dependem totalmente da cultura a qual ele está inserido. Portanto, Xamanismo não é algo de propriedade somente indígena, pois ele possui uma grande variedade cultural que está de acordo com a etnia proveniente.

Não há verdade absoluta nessa prática, tudo pode ser questionado ou reavaliado, seu conhecimento parte da orientação provinda de forças da natureza  que estão em outro plano, o xamã por sua vez faz o contato nessa outra dimensão para encontrar as orientações que precisa em seus questionamentos.

Se você quer saber mais sobre o Animal de Poder, poderá ler esse artigo, clique aqui e confira!

O Xamanismo Indígena

Na cultura indígena nem todo o ritual realizado necessita do Pajé, como o que acontece entre os Parkanãs do Xingu, onde através dos sonhos as pessoas da aldeia podem entrar em contato com o outro plano e identificar os cânticos que poderão contribuir para algo benéfico em toda a tribo.

Os indígenas acreditam que existem dois mundos, em um está o nosso corpo protetor da alma (nota-se aqui que o corpo é somente uma concha que serve para proteger a alma) e no outro, há duas almas, uma delas será fantasma e a segunda terá um destino celestial, diferente. Em sua tradição eles compreendem que dentre todos os seres vivos, somente os homens mantém a alma e consegue compartilhá-la com a natureza.

Os índios também creem que quando estamos em um estado gerado por uma substância psicoativa, ou em sonhos, nossa alma sai de nosso corpo e vai buscar conhecimento em outras aldeias ou com espíritos de outros planos, algo que é impossível de enxergar em um estado normal, quando a alma está presa dentro do seu corpo, sua casca.

Muitas dessas realizações acontecem para a busca da cura de doenças, eles entram em contato com espíritos de animais, ou de sábios ancestrais para encontrar uma forma de findar problemas de saúde.

Mas e o pajé ou o xamã responsável pela aldeia?

Se qualquer um pode entrar em contato com outro plano e buscar soluções, qual o papel do pajé? Como qualquer mestre em qualquer outro tipo de religião ou culto, o xamã da aldeia orienta e cuida das pessoas de sua tribo.

Ele possui uma sabedoria elevada quando comparada a dos demais. Um exemplo que acontece com frequência nas aldeias é de quando um membro fica preso em outra dimensão vivendo uma “vida” ilusória e esquece de retornar para seu corpo, preocupando a todos da família e assim, seu organismo vai enfraquecendo e se deteriorando. Neste momento, é de responsabilidade do pajé a ação de ir ao encontro da alma perdida e trazê-lo para o plano ao qual ele ainda pertence em segurança. Medida que somente alguém com muito conhecimento conseguiria realizar.

Pajelança

Esse é um ritual do xamanismo feito por pajés. Os índios acreditam que quando acontecimentos ruins estão presentes na aldeia e as energias não são boas, é porque eles erraram em algum ponto da história e pecaram contra a natureza, desfazendo assim um ponto do elo milenar.

Durante esse ritual, o pajé irá interceder por todos através das forças cósmicas, procurando eliminar doenças que estejam a rondar a tribo e até mesmo exorcismos. Ele celebrará a diferença dos dois planos: o carnal e o espiritual, reforçando a necessidade de harmonia entre ambos para a construção de algo duradouro e sólido. Para que haja eficiência na prática desse ritual, o pajé precisa ter:

  • Sincronia de elementos: é o poder que o pajé deve ter para invocar os elementos de todos os planos, somente os pajés mais exímios possuem esse poder e ele é guardado em total segredo.
  • Agentes auxiliares: são seres de outras dimensões que auxiliam em todo o processo ritualístico, por exemplo os encantados e espíritos de antigos pajés.
  • Força mental: o pajé utiliza de raízes ou vegetais com efeitos psicoativos para poder entrar mais facilmente em estado de profunda meditação e alcançar o outro plano, agindo assim através da paranormalidade para encontrar as respostas ao que precisa.

A prática do xamanismo indígena é um ritual milenar, onde eles procuram por meio da natureza e dos espíritos manter a harmonia na vida da tribo e respeitar os seres que contribuem para esse equilíbrio.

Fale AGORA com um Esotérico Online e Comece a Direcionar Melhor a sua Vida

Avalie esse post!