Santo Antônio de Pádua – O Santo Casamenteiro

0
1885
Santo Antônio de Pádua

Santo Antônio, também conhecido como Santo Antônio de Pádua, é um dos Santos mais clamados na Igreja católica pela quantidade de milagres realizados em seu nome, especialmente os voltados às questões de relacionamento amoroso.

Abra seus Caminhos AQUI com a Orientação dos Melhores Especialistas em Salmos

 

Muito introspectivo e de alma pura, ele dedicou a sua vida ao auxílio dos mais necessitados, deixando de lado toda a riqueza e poder de sua família, para viver com o espírito pleno de graça divina.

A História de Santo Antônio

Fernando Antônio de Bulhões, nasceu em Lisboa no ano de 1195, era de família portuguesa nobre. Foi educado pelos cônegos da Catedral de Lisboa, onde desenvolveu o hábito de ler muito e manter-se sozinho.

Contra a vontade de seu pai, resolveu entrar para o Mosteiro com 19 anos, foi ordenado como sacerdote em Coimbra, e notava-se claramente o seu grande dom para pregação da Palavra da Bíblia.

Em uma viagem à Marrocos para pregar o Evangelho, por obra Divina, Antônio adoeceu-se e isto fez com que ele voltasse em direção à Portugal, para se tratar. Entretanto, por um mistério, o barco mudou de rota e atracou na Itália, onde estava acontecendo uma reunião com mais de 5 mil frades franciscanos, entre eles estava São Francisco de Assis. Movido pelas mãos de Deus, Antônio e São Francisco passam a estudar juntos e assim, ele foi reconhecido como Frei Antônio e a pedido de Francisco, passou a ensinar todos os estudantes do Mosteiro.

Sua fama foi tanta que juntavam mais de 30 mil pessoas para escutarem as pregações de Santo Antônio, e durante esse evento, muitas delas saíam curadas de seus males, devido a tamanha fé e sabedoria com a qual ele direcionava aos bons caminhos as almas dos presentes e afastava tudo que era ruim. Com o falecimento de São Francisco, Antônio foi até Roma ensinar para o Papa Gregório IX a Ordem Franciscana.

Santo Antônio faleceu jovem, aos 36 anos, em 13 de junho de 1231, sendo assim conhecido como o santo do dia. Sua canonização foi muito rápida, pois seus milagres eram inúmeros, em 30 de maio de 1232, o Papa o nomeou Santo.

Os Símbolos de Santo Antônio

O Menino Jesus – é a representação da intimidade de Santo Antônio com a Palavra e com o conhecimento transmitido por Jesus Cristo;

O lírio – representa a pureza de alma, espírito e coração do Santo;

O Pão – simboliza seu amor e cuidado para com os mais necessitados, em uma época de crise na Europa, ele saía ajudando quem mais precisava;

O cordão – representação de seus votos e sacrifícios de acordo com a Ordem Franciscana;

O terço – simboliza sua devoção à Maria, Mãe de Jesus, também faz parte do hábito dos Franciscanos;

O livro – representa toda sua sabedoria e conhecimento da Palavra.

Oração de Santo Antônio

“Glorioso Santo Antônio que tivestes a sublime dita de abraçar e afagar o Menino Jesus, alcançai-me a graça que vos peço e vos imploro do fundo do meu coração (fazer pedido).

Vós que tendes sido tão bondoso para com os pecadores, não olheis para os poucos méritos de quem vos implora, mas antes fazei valer o vosso grande prestígio junto a Deus para atender o meu insistente pedido.

Amém.”

Responsório de Santo Antônio

“Se milagres desejais

Recorrei a Santo Antônio

Vereis fugir o demônio

E as tentações infernais.

Recupera-se o perdido

Rompe-se a dura prisão

E no auge do furacão

Cede o mar embravecido.

Pela sua intercessão

Foge a peste, o erro a morte

O fraco torna-se forte

E torna-se o enfermo são.

Todos os males humanos

Se moderam e retiram

Digam-no aqueles que o viram

E digam-nos os paduanos.

Rogai por nós Santo Antônio, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.”

Novena de Santo Antônio

Oração inicial de todos os dias

“Amadíssimo protetor, Santo Antônio! Eis-me aqui, a teus pés, plenamente confiando em vossa poderosa intercessão. Olhai-me com aquele espírito de doce e terna compaixão com que olhavas aos pobres. Pobre sou seu, Santo meu! Vejo-me cheio de misérias.

A vida para mim é contínua luta. Pão de felicidade, de alegria, de saúde e de paz, de virtude… quanto me faz falta a tua amorosa proteção! Ouvi-me, vos peço humildemente, para que vosso nome de Taumaturgo seja novamente glorificado. Creio em vosso poder, em vossa bondade; amo vosso coração de pai e bendigo a nosso Senhor, que te fez grande na terra e no céu. Amém.
Oh! Astro de Espanha, pérola de pobreza, luz da Itália, Doutor da verdade, Sol de Pádua, resplandecente em sinais de claridade. Amém!”

Orações finais de todos os dias

Rezar sempre ao final: 3 Glórias a Santíssima Trindade, O Responsório de Santo Antônio, 1 Pai Nosso e a Oração Final.

Oração Final

“Alegre, Senhor, a vossa Igreja devota a humilde oração do glorioso Santo Antônio, vosso servo, para que sejamos sempre socorridos nesta vida com os auxílios da graça e mereçamos conseguir depois as alegrias eternas da glória. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, que convosco e o Espírito Santo, vive e reina por todos os séculos dos séculos. Amém!”

Primeiro Dia

“A vida do Santo Taumaturgo é uma contínua pregação da fé cristã. Por ela, muito jovem, ansiava derramar seu sangue a vista dos mártires franciscanos de Marrocos. Por ela se entrega completamente a Deus em vida santa e perfeitíssima de evangelização, que foi pasma do mundo, rica em talentos e maravilhas…
Que vida de fé é a minha?”

Segundo Dia

“Amou vivamente o Santo essa virtude. Uma vida de sacrifícios, em luta constante contra o inferno, o mundo e as paixões, seria impossível sem uma grande esperança: tinha uma grande confiança na bondade divina, na paternal Providência de Deus e na ajuda constante de sua graça… Por isso o santo jamais desvaneceu em sua vida de incessante e penoso esforço. Contava com Deus! Humilhemo-nos e contemos não com nossas forças, mas sim com as forças divinas, esperando em Deus.”

Terceiro Dia

“Dedicou Santo Antônio ao Serafim de Assis, São Francisco, um particular amor. Não ignorava, sem dúvida, que, como bom filho seu era outro Serafim de caridade. Quem poderá adivinhar a ternura de seu amor a Jesus? Aquela cena em que o Menino Deus se recreava nos braços do Santo pode servir para nos fazer adivinhar seus êxtases, suas ternuras seráficas… Que exemplo para mim, filho miserável e pobre pecador.”

Quarto Dia

“Eis me aqui, um Santo, cuja vida foi um holocausto de amor aos homens. Pode-se dizer que toda ela não foi senão uma carícia aos pobres pecadores, aos tristes enfermos, aos atormentados pelas negruras da miséria… e tanto prazer deveria encontrar o Santo neste amor fraterno a seus semelhantes, que nem a morte o interrompeu! Hoje, como em vida, segue prodigiando-nos com as mesmas carícias… Que seu exemplo me mova à compaixão dos desgraçados!”

Quinto Dia

“Não é em vão que leva o Santo em suas mãos um lírio… Foi ele uma açucena da Igreja. O demônio quis manchar seu corpo e sua alma com sua baba imunda, mas o Santo guardou sua pureza como um tesouro, a defendeu com um cinto austero e impenetrável de silícios, vigílias, disciplinas, orações, trabalhos… Que fazemos nós para guardar a pureza de nosso corpo e da alma?”

Sexto Dia

“Também neste Santo, e por maneira singular e maravilhosa, se cumpriu o dito de Jesus Cristo: “O que se humilha será exaltado.” Ocultou-se como uma violeta, buscou o retiro, o silêncio e, dotado de altíssima sabedoria, a teve oculta e somente a obediência pode abrir com sua chave de outro aqueles talentos poderosos que fizeram de Santo Antônio a Arca do Testamento… De quantos bens nos priva nossa soberba!”

Sétimo Dia

“Nascido em dourada cama, ante os sorrisos e riquezas do mundo, Santo Antônio abraça a pobre Ordem Franciscana… Se torna filho daquele desposado com a dama Pobreza, São Francisco, e, como ele, a segue por abrolhos e espinhos, privações e sofrimentos, contente com suas dolorosas e doces carícias… Seu desapego do mundo o fez rico em bens celestiais. Trocou o ouro da terra pelo ouro inestimável do amor divino. Desapeguemo-nos dos bens terrenos, se verdadeiramente queremos nos salvar!”

Oitavo Dia

“A obediência é a morte da própria vontade, e quando o homem mata-la, tem matado o seu maior inimigo. A vontade divina, manifestada pelos legítimos Superiores, faz então maravilhas nas almas. Santo Antônio foi obedientíssimo. Foi tanto obediente que a um ato seu de obediência passava por um ignorante, mas devemos saber que era este um novo Doutor das gentes… Obedece, humilha vosso amor-próprio e Deus te exaltará!”

Nono Dia

“Todo sofrimento, em qualquer de suas manifestações, a dor do pecado, a perda da saúde e a escassez de recursos, as injustas perseguições, a ausência de paz, as grandes preocupações, as grandes tristezas… quanto podem atormentar a alma! Tudo foi motivo de compaixão para o santo, foi matéria de milagres seus, foi motivo de sua misericórdia… O que se ocultou ou oculta do seu coração compassivo?  Acudamos, pois, a ele com vivíssima confiança.”

Santo Antônio realizou diversos milagres, tanto durante sua breve vida, como também depois da sua morte. Sempre atento às causas sociais e às necessidades alheias, ele nunca virou as costas para quem precisou de suas sábias palavras e deu ajuda.

Vença Seus Desafios de Vida Com a Ajuda de Esotéricos Experientes

Santo Antônio de Pádua – O Santo Casamenteiro
5 (100%) 1 vote[s]