A experiência de quase-morte: como ela pode ser interpretada?

morte

Existem diversos testemunhos de quase-morte que impressionam a todos, por isso esse assunto é alvo de pesquisas tanto para a ciência quanto também para as religiões. Cada qual relaciona de uma maneira a história de quase-morte, o Espiritismo por exemplo, acredita que para tudo na vida há um motivo, e a experiência de quase- morte não fica de fora!

A Espiritualidade te Ajudará a Superar Desafios e Alcançar seus Objetivos. Clique Aqui e Comece Agora seu Atendimento

Muitas pessoas relatam sobre as experiências que tiveram quando “morreram” por alguns minutos ou até mesmo ficaram em coma após um acidente grave. O que é mais assustador é que algumas voltam com dons após a experiência, isto é, voltam sabendo cantar, pintar, entre outras coisas, ou dominando outras línguas fluentemente. O curioso é que elas relatam sobre acontecimentos em comum dessa experiência, onde há sensações e cenários parecidos.

A morte é o mistério que ronda a vida de todos, ela é fonte de inspiração para a arte em geral e na criação de quase tudo que conhecemos hoje. Por isso a experiência de quase-morte chega a ser tão curiosa como também duvidosa aos olhos de quem não a vivenciou, e para fortalecer ainda mais a dúvida, nenhuma ciência é capaz de explicar os  relatos de quase-morte, nem porque as pessoas voltam sabendo algo que lhe era incomum depois de terem passado por esse momento.

O que é experiência de quase-morte?

A experiência de quase-morte no Espiritismo, é também conhecida como “EQM” e em geral ela se refere e abrange todas as vivências após o desligamento do corpo, como visões, percepções e sensações diferentes. Essa experiência também é conhecida como projeção da consciência, projeção astral ou ainda desdobramento espiritual onde o que mais é relatado é o “efeito túnel” e a “sensação de serenidade”.

Tudo isso acontece quando a pessoa foi pronunciada como morta ou ainda muito perto da morte, e aí que surge a experiência de quase-morte. Esse termo é proposto pelo psicólogo Vitor Egger quando houve uma discussão entre filósofos, religiosos e psicólogos no final do século XIX.

Dúvidas – Perguntas comuns sobre o assunto

Não é uma forma de expiação para refletir melhor sobre sua vida nesse mundo?

Sim, também, mas não é o objetivo principal, o objetivo mesmo é ter a certeza de que somos espíritos imortais, e que vamos conservar tudo aquilo que aprendemos nesta vida em um plano espiritual para as próximas reencarnações.

A E.Q.M não é uma resposta psicológica para situações de perigo?

Em caso de situações de perigo eminente a pessoa tem uma visão retrospectiva. Por isso, não é um caso de resposta mas o que realmente acontece, se não estaria pensando sobre os fatos de sua vida, como dito anteriormente.

Como saber que não é uma saída psicológica criada por nosso cérebro?

Nem todos possuem as mesmas experiências, mas elas são muito parecidas de forma assustadora, em alguns casos a prova está na sabedoria que a pessoa adquire após esse momento. Alguns outros relatos giram em torno de:

  • sensação de ter finalizado a missão;
  • sensação de estar morto;
  • leveza;
  • paz;
  • ausência de qualquer incômodo ou dor;
  • experiência de ver um túnel;
  • seres de luz e encontros com familiares e amigos que se foram;
  • relutância em voltar ou desespero em voltar;
  • transformação da personalidade;
  • novas características e dons.

Cada um passará por uma situação.

A desencarnação será do mesmo jeito com essas sensações?

Provavelmente sim, as sensações serão essas até ter o amparo espiritual, do finalmente deixar o corpo material.

Relatos de quase-morte que se repetem! O que as pessoas que já passaram dizem?

Embora nada seja idêntico, existem muitos elementos em comum que podem ser observados:

  • Projeção do corpo: sensação que a pessoa deixou o corpo e que está pairando acima dele;
  • Movimento em um túnel: sensação de se estar em túnel escuro onde se pode ver uma pequena fresta de luz ao final;
  • Bem-aventurança: lembranças de um sentimento profundo, mas que trazem paz e conforto;
  • Visão de luz: ir ao encontro de uma luz muito forte, da cor branca ou dourada;
  • Encontro com pessoas mortas: entidades, santos, pessoas queridas ou até mesmo pessoas normais que não são conhecidas;
  • Revisão ou retrospectiva da própria vida: reformulação de cada momento importante da própria vida. Reviver os eventos mais significativos;
  • Entendimento: finalmente saber a resposta para todas as perguntas que não temos aqui na terra. Sensação de entender absolutamente tudo;
  • Espera absoluta: sensação que algo impede de passar, uma escuridão profunda, sensação de um penhasco ou algo que não pode ser cruzado naquele momento;
  • Decisão: entender o porque se deve voltar e associar alguma tarefa inacabada.

Por que acontece a experiência de quase-morte?

Esse eventos são alertas divinos e oportunidades para que sejam criadas profundas reflexões e mudanças. Por isso também podemos perceber que as pessoas que voltam geralmente dão muito valor a todos os instantes da própria vida, mudam seu ponto de vista sobre o mundo, e apresentam comportamentos positivos.

Em geral os primeiros passos descrevem sentimentos de paz e faz com que a pessoa enxergue o aprendizado e evolução em cada atitude. E até mesmo pessoas que dizem sonhar com quase-morte relatam que tentaram cultivar mais amor e paz em suas vidas.

O que podemos concluir é: estamos aqui em um momento passageiro, por isso não devemos desperdiçar essa oportunidade de evolução e ser feliz. Acredite, a meta de toda vida é ser completo adquirindo sabedoria e felicidade. Se você passa por um período que precisa de direcionamentos para se encontrar no caminho ideal, saiba que estamos aqui para te ajudar! Fale todos seus problemas para um dos nossos esotéricos online e saiba porque eles acontecem e como superá-los, clique aqui!

Fale AGORA com um Esotérico Online e Comece a Direcionar Melhor a sua Vida

Avalie esse post!