Início Espiritualidade Shakti a Deusa que representa o feminino na Tridevi Hindu

Shakti a Deusa que representa o feminino na Tridevi Hindu

0
82
Shakti
Shakti

Shakti – História e vida

Hoje vamos falar sobre uma entidade feminina que se sobrepõe a todos os outros deuses ou deusas do Hinduísmo. Seu poder e abrangência é tão absoluto, que seu nome passou a ser título de toda uma crença e cultura. Hoje falaremos da deusa Shakti e do movimento que se criou a partir do Shaktismo.

Se você de alguma forma se interessa pelo Hinduísmo, seus deuses e deusas e todas as práticas, com certeza já achou um pouco complicado acompanhar a quantidade de deuses e deusas que existem nessa religião. Existem por alto, mais de 300 milhões de entidades às quais se presta culto ou algum tipo de devoção. 

Shakti – A origem de todas as coisas 

A palavra Shakti vem do sânscrito e significa energia ou poder. A origem dessa Deusa, que é considerada a mãe do Hinduísmo, é exatamente toda a força, energia e poder que existe dentro do universo.

Em suma, ela é uma divindade superior até a Brahma, tendo em si a origem, o desenvolvimento e o fim de todas as coisas no universo. Os estudiosos e devotos de Shakti ou MahaDevi (Grande Deusa) a consideram a parte oposta da trimúrti Hindu.

A Deusa Shakti, não tem uma forma específica, por ser mais uma ideia, porém suas manifestações são sempre femininas, e as três principais, sendo elas: Sarasvati, Parvati e Lakshmi, são consideradas as partes opostas dos Deuses Brahma, Shiva e Vishnu.

Então, é como se essas principais encarnações de Shakti fossem apenas o lado oposto da moeda, quando falamos dos 3 maiores deuses Hindu.

A questão com a Deusa Shakti é tão profunda, que em nenhuma outra religião existe uma figura feminina que seja colocada acima de qualquer outra figura masculina. 

A relação de Shakti com os deuses da trimúrti Hindu

Aproveite para conhecer mais sobre o panteão dos deuses hindus, e aprimorar sua fé e espiritualidade através da crença nos deuses da criação que são cultuados na Índia. 

Você deve estar se perguntando “mas como um Deus pode ser maior que o outro se são a mesma coisa?”, calma que vou te explicar direitinho.

Shakti a tridevi hindu
Shakti a Tridevi hindu

Como disse ali em cima, Shakti significa energia ou poder, tendo isso em mente e sabendo que Shakti é o oposto dos deuses masculinos, nascem os pares formados pelos 3 principais deuses e as 3 encarnações de Shakti. 

Mas agora para entender melhor, desfaça-se dessas “personas” de Shakti, e imagine ela como um conceito, puro poder e energia. pensando assim:

  • A Shakti de Brahma é Sarasvati
  • Parvati é a Shakti de Shiva
  • E a Shakti de Vishnu é Lakshmi

As características da Deusa encarnada 

Sarasvati – O significado de seu nome é “elegante” é conhecida por sua imensa sabedoria, e também por ser a Deusa da arte e da música. Ela é cultuada por seus vastos ensinamentos sobre o autoconhecimento e o fortalecimento interior de seus devotos. 

Lakshmi – É considerada a deusa mãe do hinduísmo pois está ligada ao lar e a vida doméstica, o comando da casa. Além disso, a Deusa também é muito conhecida por sua relação com a riqueza e a prosperidade.

Parvati – Essa é a Deusa do amor, do casamento, da fertilidade e da beleza feminina. É a esposa de Shiva e esteve com ele em todas as suas encarnações. 

Shakti é força soberana além do universo

Brahma é o Deus primordial, de onde se originam todas as coisas, logo Sarasvati é o núcleo de seu poder. Shiva é o Deus destruidor, aquele que mantém as coisas em evolução e fluxo, Parvati é a suma de seu poder. Vishnu é o Deus da conservação das forças no universo, a origem de seu poder está em Lakshmi. 

É daí que surge a ideia de que Shakti é e está em todas as coisas do universo, é a energia que une o caos, é o poder que origina a vida, a luz, as forças e os homens, é a energia que movimenta a vida na terra e em todos os lugares.

Mas não se engane, Shakti está acima de todas essas coisas, apesar de se manifestar assim. Ela está fora do espaço-tempo, pois ela é o poder absoluto, e energia da criação por excelência!

Fale com um especialista iQuilibrio e direcione sua vida, aqui!

Formas de interpretar

Há uma linha de pensamento que defende a necessidade de olhar para essa grandiosa dualidade complementar de deuses e deusas no hinduísmo, como uma polaridade, perceber a mesma coisa de duas maneiras diferentes. 

Um exemplo bem legal disso é: sentimos frio e calor, o calor é o aumento de uma energia, o frio é a queda dessa mesma energia. Nosso cérebro interpreta a mesma energia de formas diferentes, mas não são de fato coisas distintas. Assim deve ser quando falamos dos deuses hindus e das Shaktis de cada um.

O Shaktismo de mãos dadas com o Tantra

O Shaktismo se tornou tão forte no meio Hindu, que passou a ser reconhecido também como um movimento. Esse movimento entende a existência da Deusa como uma oportunidade de aproveitar essa energia para poder se aproximar da evolução total do espírito, que deve ser o objetivo da humanidade, evoluir para o bem.

E então, a partir dessa abordagem o Shaktismo casa-se com os costumes Tântricos. O tantra por sua vez enfrenta alguns achismos e conclusões comuns que acabam levando as pessoas a interpretarem mal essa cultura que busca a evolução e o controle absoluto da sua consciência e dos sentimentos.

Em suma, infelizmente muitas pessoas associam automaticamente o Tantra ao sexo, que foi a forma como essa cultura se popularizou no mundo ocidental. Mas na verdade não tem quase nada a ver com isso, pois o Tantra visa canalizar suas energias, sentimentos e emoções para que você possa alcançar a luz e evoluir a partir do espírito para o corpo, algo que ocorre de dentro para fora, sabe?

Shakti energia transcendental
Shakti energia transcendental

O Tantra é um caminho para Shakti

Então o Tantra busca te fazer refletir sobre sua raiva, desejo, medo e transformar isso em uma energia vital que pode inclusive te levar a um estado absoluto de consciência, onde você entra em contato com a verdadeira Shakti que emana por todo o universo e para além dele.

Portanto, para que isso ocorrera a pessoa que está disposta a trilhar esse caminho em busca de Shakti, precisa estar disposto a aplicar esses estados de consciência e canalização de energias e emoções, em absolutamente todas as áreas da sua vida, o que também inclui o sexo.

No entanto, infelizmente a cultura ocidental perverteu um pouco o sentido do tantra, relacionando ele somente ao prazer absoluto durante o sexo.

O Chakra

Além de tudo isso, a energia com a qual o Shaktismo busca se conectar, pode ser relacionada com a energia dos Chakras, visto que são como linhas ou fontes que nos conectam diretamente com as forças do universo, nos dando a força vital necessária para manter nosso corpo e espírito saudáveis.

Por isso, as técnicas de meditação e concentração de energias utilizadas em técnicas como o tantra, a meditação, as terapias holísticas e afins, podem facilmente ser conectadas ao culto de Shakti.

Você sabia que a meditação pode te ajudar a alinhar as energias e as áreas da sua vida? É com a meditação que conseguimos nos conectar com a energia superior que nos direciona para a luz e para o bem. 

Para saber como a meditação pode te ajudar, fale com um especialista, aqui!


Assista esse vídeo e entenda mais sobre as energias dos chakras:

Rate this post
Artigo anteriorGnomos existem? Tem um morando no meu quintal?
Próximo artigo7 dicas imperdíveis para renovar a energia do local de trabalho
Avatar
Lucas, é um jovem apaixonado pela leitura e escrita, mas sempre que pode, gosta de se aventurar pelo mundo da gastronomia. Está em formação para ser Jornalista e constantemente busca por novos aprendizados e experiências. A missão dele envolve o desenvolvimento das pessoas através daquilo que escreve, de forma leve, e prática, em busca de propagar conteúdos empáticos e falar sobre temas relacionados com autoconhecimento, liberdade e respeito. Sempre prezando pela complexidade do universo particular e interior. Além de respeitar as cargas emocionais e culturais de cada indivíduo ao abordar temas como: religião, amor e outras vertentes da vida espiritual.