Início Espiritualidade Morte: é fim ou recomeço? A vida é efêmera ou eterna?

Morte: é fim ou recomeço? A vida é efêmera ou eterna?

0
788
Morte

Morte, morrer, desencarnar, falecer, empacotar, abotoar o paletó, bater as botas, subir no telhado, dar o último suspiro, esticar as canelas e vestir o paletó de madeira.

Os nomes para a morte são muitos, assim como são muitas verdades que rondam esse momento. Ou seja, podemos considerar que a vida é efêmera e tem um fim com a morte? Ou ela é eterna e só mudou do plano terreno para outro? No que você acredita?

Pensando nessas questões que nos acompanham de longa data, nós decidimos fazer um apanhado sobre a visão de diversas religiões sobre a morte. Continue nos acompanhando!

O que há depois da morte? Existe outro lado?

Tem religião que acredita na vida eterna sem reencarnação, outras acreditam na reencarnação e na vida eterna. Ainda mais, há quem acredite que quando tudo acaba, acaba mesmo.

Outros voltam para a vida terrena com uma missão e outros retornam por vontade própria, apenas para viver mesmo. Por isso, vamos conhecer um pouquinho da visão sobre a morte que algumas religiões têm.

Espiritismo: nada de viver como se não houvesse o amanhã!

Porque o amanhã existe e te fará voltar para corrigir os problemas causados antes da morte. Segundo o espiritismo, se você teve uma vida edificante, ajudava os outros se comprometia e procurava sempre fazer o bem, existe a possibilidade de seu espírito ir para um lugar para se aprimorar mais ainda.

Lá, esse espírito desencarnado irá encontrar amigos e familiares que já fizeram a passagem. Além disso, irá ajudar pessoas que ainda estão encarnadas para que corrijam possíveis falhas.

Entretanto, há aquelas pessoas que viveram uma vida de vícios, tiveram passagens que machucaram ou magoaram profundamente pessoas. Elas, na hora que desencarnam, podem ir para o que chamam de umbral.

Lá, você encontrará, não só espíritos com uma passagem ruim pela terra, mas aquelas que também não aceitam a morte. Esses espíritos permaneceram lá até estarem prontos para evoluir.

A partir desse momento, podem ir para um lugar no qual irão aprender mais e, dependendo de sua história pregressa, talvez tenha que reencarnar para se redimir e “arrumar a bagunça”

Cristianismo e suas vertentes: morrer na graça e amizade de Deus

As religiões cristãs, como os católicos e evangélicos, acreditam que o espírito é eterno no amor de Deus, mas não volta para a terra. Dessa forma, você não tem a opção de retornar para viver novamente ou de cumprir uma missão.

Dependendo da forma em que esse espírito viveu, na hora da morte ele pode ter 3 destinos diferentes: céu, purgatório e inferno.

Vai para o céu aqueles que morreram na graça e amizade de Deus. São as pessoas que o adoravam em vida, faziam o bem ao próximo e praticavam o amor. O céu seria um lugar repleto de amor, bondade e na presença dO Criador.

Mas, se no meio desses dias na Terra a pessoa cometeu deslizes, mas acreditava no amor de Cristo, ela passará um período no purgatório. Esse espírito passará por um período de purificação até entender o que fez de errado.

Já os que negaram a existência de Deus, não fizeram nada de bom, atentaram contra a vida, tem uma passagem direta para o inferno. Um lugar de sofrimento ininterrupto e de muita maldade.

Wicca, o País do Verão e o retorno para a Deusa

Terra de Verão, País do Verão ou Summerland: a vida após a morte, segundo a Wicca, é marcada para o retorno do amor e acolhimento da Deusa. O espírito vai para uma terra de grama verdinha, brisa suave, natureza e a sensação de completude, que é o País do Verão.

A Wicca acredita, sim, na reencarnação, mas não como uma missão para “pagar os pecados” de vidas passadas, como acredita o espiritismo. Ela vê a reencarnação como mais uma fase que a alma passa em busca do desenvolvimento e equilíbrio para fundir-se com a Deusa e com o Deus.

O País do Verão é um espaço de descanso e, segundo o Sacerdote Wiccaniano, Brendan Orin, “no País de Verão, vamos encontrar as pessoas que amamos e as regras de nossa fé. Eu verei os Deuses Antigos, já minha mãe, Jesus.”

Candomblé, Iku e Oiá

Essa linda religião de matriz africana, assim como o cristianismo, possui diversas vertentes,como a umbanda,  e cada uma é levemente diferente da outra.

De um modo geral, acredita-se que após a morte o espírito pode reencarnar para corrigir problemas no passado e buscar evoluir.

Além disso, o espírito não precisa voltar ao plano terrestre para se aprimorar, isso pode ser feito com o auxílio de espíritos de luz em um plano mais elevado.

A morte, claro, é sentida por todos, mas existem lindos rituais de despedida como o Sirrum e o Axexê.

Acredita-se que Iku é que traz a morte para a pessoa e Oiá é quem carrega o espírito para Orum, o mundo da não matéria.

Zen Budismo: o sentido da existência é apenas existir

O Budismo possui vertentes distintas, como o Zen Budismo e o Budismo Tibetano. Cada um deles tem uma visão diferente sobre a morte.

Para o Zen Budismo, após a morte há a reencarnação, mas não com a função de corrigir problemas na vida terrestre, mas como uma nova oportunidade de simplesmente viver. Como disse a Monja Coen, “qual o sentido da existência? Talvez seja apenas… Existir”.

Além disso, reafirmam que a única certeza que temos é o do nascimento e o da morte. Por isso, ter uma vida dedicada à conscientização desse fim é importante. Dessa forma estaremos calmos o suficiente na hora da morte e teremos uma reencarnação melhor.

Aliás, ressaltam a importância de mantermos o equilíbrio quando perdemos alguém. Se evitarmos a tristeza profunda e o choro desesperado, garantimos que o espírito se liberte em paz.

Esperamos que esse texto sobre os diferentes pontos de vista religiosos sobre a morte tenha ajudado. Caso precise de orientação e acolhimento, saiba que estamos aqui de braços abertos para ajudar.

Converse com um de nossos esotéricos, esclareça suas dúvidas e acalme seu coração.

Um grande beijo e até a próxima!

5/5 - (2 votes)