Início Espiritualidade Espiritismo Almas gêmeas: no espiritismo elas são verdadeiras? 💞

Almas gêmeas: no espiritismo elas são verdadeiras? 💞

0
1219
Almas gêmeas no espiritismo

Quando escuta sobre almas gêmeas no espiritismo vem logo na sua cabeça aquela pessoa que encaixa perfeitamente com você, certo? Aquele ser incrível, que parece se conhecer desde sempre, completando a frase e os pensamentos um do outro, com  interesses em comum e parece que o tempo voa quando estão juntos.

Além disso, a sensação de completude e felicidade quando estão juntos, é quase impossível de descrever, não é mesmo? Mas será que essas sensações todas e essa pessoa é sua alma gêmea, segundo o espiritismo?

Sentimos muito, mas as almas gêmeas no espiritismo não existem…

Mas isso não quer dizer que não exista o amor verdadeiro e que a pessoa que está ao seu lado – e que faz tudo fluir muito melhor – é um engano. Dessa forma, o conceito de alma gêmea pelo espiritismo não existe pois contemplam a alma como única, e não dividida em metades que precisam se completar.

Por isso, a alma gêmea segundo o espiritismo é um conceito errado. Afinal, as almas são únicas e inteiras, sem precisar encontrar alguém para se sentirem completas. Mas não fique triste ou decepcionada, pois tudo o que você sentiu – ou ainda sente – por alguém tem um significado especial.

E aquela sensação de sempre ter te conhecido?

Sabe aquela pessoa que é carne e unha com você? Que é super parecida, que te deixa feliz só de estar perto e que gosta de muitas coisas que você gosta? Ela pode não ser sua alma gêmea, mas o espiritismo acredita que possa ser uma alma que já teve afinidade com você em outras vidas e até mesmo no plano astral.

Sim, o seu(a) namorado(a) ou melhor amigo(a) já pode ter participado de algumas de suas outras vidas. E é por isso que você se sente tão confortável na presença dessas pessoas.

Se não existe alma gêmea no espiritismo, existe predestinação?

Para quem não conhece muito sobre espiritismo, saiba que tudo que fazemos nesse plano terrestre tem consequências além da vida. Por isso, se alguém lhe magoou profundamente, lhe fez sofrer e plantou o mal, provavelmente em uma outra vida ela virá para se redimir.

No entanto, isso não quer dizer que na próxima encarnação ela estará predestinada a voltar e corrigir todos os erros. Afinal, estamos falando em almas livres, que podem ou não fazer o que lhe seria ideal realizar para obter crescimento e amadurecimento espiritual.

Esse foi só um exemplo para dizer que aquele amor da sua vida pode não ter sido o mesmo em vidas passadas e vice e versa. Pode ser que se reencontrem e vivam novamente esse amor, mas isso depende puramente das escolhas da alma.

Alma gêmea, não. Espíritos afins, sim!

Um grande amor experimentado em outra vida pode ser tão marcante e intenso que, ao se reencontrarem em outra encarnação, podem ter tamanha afinidade que se sentem muito ligados. Nessa situação, o espiritismo não fala em alma gêmea, mas sim em espíritos afins.

Espíritos afins não são almas pela metade que necessitam de outra alma para concluir sua jornada ou ser feliz. São espíritos que se bastam por si só mas que se reconhecem e se gostam. A afinidade é tamanha que podem voltar a viver um grande amor.

No entanto, isso não significa que se encontrarão em todas as reencarnações. Pode ser que em algumas vidas nem cheguem a se relacionar ou se conhecer. Outro fato importante é que uma alma pode ter várias almas afins.

As “almas gêmeas” nos livros espíritas

A literatura espírita é riquíssima e costuma ter fãs até mesmo de pessoas que não são adeptas dessa doutrina. Muito bem escritos, com tramas envolventes e histórias fascinantes, é claro que não deixariam de fora o tema sobre almas afins que são confundidas com almas gêmeas.

Um exemplo famoso e que atrai públicos diversos é o romance “Ninguém é de Ninguém”, da Zíbia Gasparetto. Essa trama fala de um casal com filhos que se amam profundamente e tem uma vida estável até que o homem perde o emprego.

Para sustentar a família, a mulher se esforça, trabalha como nunca antes, tudo em nome do amor e da sobrevivência. Entretanto, seu marido é tomado por baixas vibrações e começa a ter pensamentos negativos sobre a mulher.

A trama é sobre ciúmes, sentimentos de posse e família. Ou seja, esses espíritos afins acabaram se abalando e um deles achou que deveria ser o único e ser o dono do outro espírito afim. Vale muito a pena essa leitura.

Outro famoso livro, que não é um romance, mas sim uma espécie de guia, é “O Consolador”, escrito por Chico Xavier. O termo alma gêmea no espiritismo é abordado nesse livro, mas não fala sobre uma necessitar da outra para ficar completa, pois já são inteiriças.

Fala-se no conceito de espíritos afins, ligados pela amizade, o amor e coisas em comum. Esse também é um ótimo livro para quem gosta de espiritismo e espiritualidade.

Esqueça o príncipe encantado ou a princesa amaldiçoada a espera de um beijo

Alma gêmea é um termo bonito, mas pode nos induzir a ir em busca príncipe encantado, sem defeitos, que surge em um cavalo branco para nos salvar. Também esqueça a ideia romantizada de andar por aí e encontrar uma princesa sensata e perfeita, adormecida, à espera do seu beijo para ser salva e viverem uma vida maravilhosa e feliz para sempre.

Esperar que sua “alma gêmea” a salve – ou seja salva – é viver um conto de fadas irreal. Ninguém precisa completar você pois você mesma é completa, inteira e pode ser feliz assim, com ou sem uma alma afim. Entendeu?

Alma gêmea só existe na música do Fábio Júnior. 😋

E se você tem dúvidas se está amando ou se está apaixonada, veja um dos nossos vídeos com a participação da nossa especialista, Juliana Viveiros.

Espero que tenha gostado dessa matéria sobre alma gêmea no espiritismo. Se você curte espiritismo e espiritualidade, provavelmente vai gostar dessas matérias aqui:

 Um grande beijo e até a próxima! 💞

5/5 - (2 votes)