“Me envolvi com uma pessoa casada? E agora?” – Pela Consultora Márcia

relacionamento com uma pessoa casada

Índice

Receba Orientações em uma Consulta Surpreendente com a Terapeuta Márcia. Clique Aqui!

Muitas pessoas chegam a mim com esta situação acontecendo em sua vida, e a dúvida maior, o que fazer, como agir e o que esperar?

Algo que temos que estar muito conscientes é o fato de que aquela pessoa com um compromisso firmado já há algum tempo tem uma dificuldade maior de sair da relação, é mais difícil, hoje há muitas fórmulas de investir na relação (casamento) e fortalecer os laços se estão fragilizados, mas já é também esperado o que pode ou não dar certo, o que se consegue muitas vezes é um prolongamento desta parceria, mas nada é garantido neste processo, pode sim dar certo, principalmente se ainda restar o amor, é claro se existiu em algum momento, ou ate reconquistar a pessoa amada investindo em melhorias pessoais, tudo é valido como tentativas, mas nada é garantido.

As crenças que são dadas a nós é de que casamento é para vida toda, tudo que é eterno é fadado ao desgaste se não houver maturidade investimento melhorias, enfim é necessário um esforço diário para estarmos a todo tempo nos melhorando e superando as expectativas.

O correto é não ter expectativas além do que se pode dar ao outro!

E quando neste caminho uma das partes se envolve com uma outra pessoa, qual é a melhor forma de lidar com esta relação?

No início pode-se não ter ciência de que a pessoa já é comprometida, pois sentimento não tem radar ou não tem um controle onde escolhemos gostar ou não, a atração e o envolvimento acontecem, e ai vem as consequências deste envolvimento, geralmente a vontade de estar junto o tempo todo é muito forte e pode acontecer do outro(a) não poder estar disponível quando queremos, é onde inicia-se um processo de investigação, de querer entender aquela situação, procuramos ajuda, seja de profissionais que com suas ferramentas de trabalho orientam quanto as energias contrárias e que ali descobrem causas de não ter quem queremos ao nosso lado, compartilhando de uma vida a dois com equilíbrio e certezas.

O envolver-se com uma outra pessoa que esteja comprometida, casada, ou numa relação estável é um caminho difícil na maioria das vezes, mas como no coração não temos uma chave de liga e desliga, temos que saber agir e reagir aos impedimentos, com muito bom senso, calma, paciência inteligência e sabedoria, tentando entender aquela situação. Uma coisa é quase certa, em algumas circunstâncias o outro busca um relacionamento extra por ter como conduta este tipo de ação, há também a outra face que muitas vezes estando numa relação desgastada, ou por vezes é um relacionamento tóxico, ou mesmo de pura acomodação onde não há mais amor, seja de um ou de ambos.

É de se esperar dificuldades inerentes de se unir a uma pessoa comprometida afetivamente, o que é necessário saber é o quanto a outra parte, a que tem já uma relação efetivamente está disposta a renunciar ou mesmo finalizar, se é vontade colocar um ponto final, a melhor forma é ter muita conversa, e que seja franca, honesta e transparente para que não sejamos ludibriados por falsas promessas ou até sermos sempre deixados em segundo plano.

Saber se é uma relação obsessiva se a outro lado da relação não é chantagista ou até passivo em excesso e permissivo, saber se há vínculos tais como os filhos que possam ter sidos gerados neste compromisso, se há impedimentos financeiros, pois muitos não se separam efetivamente por não querer abrir mão de bens adquiridos, tudo isso é necessário saber e ter consciência.

A escolha de querer dar continuidade a possível relação tem que ser muito analisada, avaliada para assim tomarmos a conduta mais favorável para a nossa felicidade. O que é certo o que é errado é muito relativo, pois somos pessoas diferentes umas das outras, temos muitas crenças que nos limitam viver plenamente, livres, sem cobrança, algumas condutas ou a nossa maneira de viver na maioria das vezes será julgada e o ser humano cobra o ser correto, mas nem sempre o que é certo para uns e certo para outros, e o que pode ser errado na mesma medida pode não ser errado de fato, temos que analisar como um interessante ponto de vista, e assim viver sem medo, sem nos limitarmos pelo olhar do outro.

Sejamos felizes com aquilo que nos realiza, é primordial que não desrespeitemos o nosso semelhante, mas tenhamos o olhar amoroso e acolhedor para todos sem distinção.

Se as situações chegam até você é porque tinham que acontecer, se aquela pessoa chegou até você há um propósito que precisa ser compreendido, casamento para sempre pode até existe, mas eles só resistem quando é verdadeiro, não é o amor da boca pra fora, é o amor real, aquele que apesar das turbulências resiste, mas lembre-se que quando ao invés de se unir a alguém por amor deixamos outro sentimento nos confundir, essa união tende a falir, a acabar, finalizar, porque ninguém permanece ao lado de outro alguém sem sentir realmente essa força inigualável.

Portanto se há um envolvimento seu com alguém que já tenha uma relação efetiva saiba conduzir com calma, use de sabedoria, analise sem ser possessiva, quem ama fica, pode ficar longe por um tempo, pode sumir sem dar explicação, mas ao sentir falta vem em busca de acolhimento e compreensão, mas é necessário estar ciente que de uma forma ou outra haverá dificuldade em o outro abandonar o que tem, pois existem muitos agravantes que podem impedir. Mas há os que são acomodados e ao invés de ter atitudes não o fazem por não querer. Analise:

Você esta bem vivendo este romance?

Está sendo interessante vivenciar esta relação?

Você se sente amada no momento em que estão juntos?

Há uma expectativa sua em relação em ser a escolhida na questão?

Você esta pronta a renunciar se sentir-se deixada em segundo plano?

Se a maioria das suas respostas é sim, então viva este amor, este momento, sem criar monstros mentais ou fadas madrinhas com resoluções magicas, é necessário ser realista sem ser egoísta. Dificuldades existe em todos os relacionamentos, mas ser a outra pode ser um interessante ponto de vista. Seja feliz e ame, sem julgar e sem cobrar.

Conheça mais sobre a Terapeuta Márcia Silva

Taróloga, Espiritualista, Sensitiva, Numeróloga, Aromaterapeuta, Terapeuta Holística, Reikiana, consultora de Feng-Shui, trabalha com Baralho Cigano e Pêndulo. Sua tiragem é intuitiva, com métodos próprios para leitura. Trabalha com as cartas associando a demais terapias com óleos essenciais, banhos aromáticos, magias e rituais, e de acordo com a necessidade e o momento, utiliza também técnicas Radiestésicas com pêndulos e gráficos, Cromoterapia, Aromaterapia, e ervas medicinais como alternativa para o equilíbrio energético pessoal e ambiental. Conheça melhor essa consultora aqui!

Confira Aqui os Produtos e Atendimentos Especializados da Consultora Márcia